segunda-feira, fevereiro 20, 2006

Faltam-me palavras...

Passaram mil dias, milhares de horas, milhões de segundos, e tu sempre na minha cabeça, tu sempre a meu lado... acordando nos meus braços cansados de sonhar.

Hoje as coisas estão diferentes, um aperto na garganta faz-me chorar, e levanto-me para atender o telefone. Tu. Sempre a chorar do outro lado. Tu. Sempre a sofrer. Tu. Sempre dorida. Eu. Resignadamente aceitando o destino. Tanto no mal, como no bem, sempre acomodado, quando te amei, e quando te perdi... triste o fado...

Eu. Lutei contra os meus maiores estigmas e defeitos. Mas cheguei atrasado à batalha... Vi-a. Ao longe por entre duas folhas caídas.

A beleza das coisas reside em transformar o fundo do mar num calmo lago, banhado pelas verdes árvores da manhã de Setembro...

Sem comentários: