sexta-feira, fevereiro 17, 2006

A gente vai continuar

Tira a mão do queixo, não penses mais nisso. O que lá vai já deu o que tinha a dar. Quem ganhou, ganhou e usou-se disso. Quem perdeu há-de ter mais cartas para dar. E enquanto alguns fazem figura. Outros sucumbem à batota. Chega aonde tu quiseres. Mas goza bem a tua rota.
Enquanto houver estrada para andar. A gente vai continuar. Enquanto houver estrada para andar. Enquanto houver ventos e mar. A gente não vai parar. Enquanto houver ventos e mar.
Todos nós pagamos por tudo o que usamos. O sistema é antigo e não poupa ninguém, não. Somos todos escravos do que precisamos. Reduz as necessidades se queres passar bem. Que a dependência é uma besta. Que dá cabo do desejo. E a liberdade é uma maluca. Que sabe quanto vale um beijo.
Enquanto houver estrada para andar. A gente vai continuar. Enquanto houver estrada para andar . Enquanto houver ventos e mar. A gente não vai parar. Enquanto houver ventos e mar.
Enquanto houver estrada para andar. A gente vai continuar. Enquanto houver estrada para andar. Enquanto houver ventos e mar. A gente não vai parar. Enquanto houver ventos e mar.
Jorge Palma

Sem comentários: