quinta-feira, janeiro 10, 2008

Auto-retrato


É por detrás do espelho que me vejo,
Numa espécie de quadro em negativo.
Sinais fundos e certos de que vivo,
Mas sem a nitidez que todos me atribuem
Desde o começo.
Baça inquietação, ambígua semelhança
Com aquele velho, jovem, criança
Que pareço.

Miguel Torga in Penas do Purgatório, Coimbra, 1976

Sem comentários: