sexta-feira, março 21, 2008

Diário de bordo (continuação)

Mais de um mês sem diário de bordo… Foram varias semanas com coisas normais em Corbeil e Brunoy, ao ritmo de sempre, mas foram também semanas de visitas e de viagem...
Este contexto diferente leva-me a optar por uma metodologia diferente, vou pois apenas referir os dias mais importantes:

De 4 a 17 de Fevereiro destaque apenas para duas saídas do pessoal com a Charlotte (colega em Brunoy) e Sebastian (um norueguês a fazer um curso de francês e que é seu locatário). Fomos aos árabes, ao couscous do costume, mas este parece nao ter qualidade para uma tunisina, depois passamos pelo Cherry (bar onde trabalha uma colega da Susana e que parece ser muito à la mode) e finalmente para encerrar a noite... um bar com porteiro em que ao contrario da noite do porto este profissional é também profissional do carinho (abraça efusivamente todos os que entram e que saem); Priceless.


Depois uma semana (17-24) inteira com o Alex e Joao e com todas as parvoíces, benfiquices, sacanices, e ate mesmo judiarias... Durante a semana houve de tudo. Marais e gays, Louvre e rapidinhas, Pompidou e fotos, La defense e paisagens, St germain e passeios, Oberkampf e árabes, etc... até noctilien. A minha primeira vez no noctilien tem muito que se lhe diga... uma aluna minha que nem me reconhecia... um calor monstro no bus, fala-se mesmo que poderia estar 45°... tudo a dormir durante a viagem com o companheiro do motorista a ter que ir acordar as pessoas aos lugares com umas simpáticas festinhas e carinhos na mão... Houve despertares tarde, por culpa do cozinheiro, Benfica no Churrasquo (pormenor que apenas o olhar apurado do João conseguiu notar), houve ainda passeios sem fim, comer ate mais não, poucas aulas e uma despedida apressada por uma noite mal dormida... ah e saudades...

um dia de descanso... quase sem descanso...

26 Fevereiro... Amsterdam + Susana + Ferias = "coisa sonhada"
Quase uma semana em terra de canais, tulipas, droga, cerveja barata, prédios tortos, frio, muito frio. No primeiro dia nao houve tempo para mais do que um breve passeio na red light, ir as compras e ficar na conversa com as nossas caras anfitriãs. Depois acordar quase sempre tarde para aproveitar as manhas na ronha com a menina. Depois passeios entre ruas e canais, almoço num restaurante muito simpático junto ao Van Gogh (soube um pouco a desilusão este museu sobretudo se pensarmos que por exemplo o Orsay tem uma colecção invejável). De qualquer forma a Museumplein é uma zona muito agradável. Visita à excepcional biblioteca da cidade (o paradigma de como deveriam ser todas... funcional, bonita, moderna, e com uma vista…). Passagens ainda no Museu de Arte Contemporânea (muito aquém de Pompidou e Tate); do Cinema, Nemo e mais passeios. Pelo meio, o aniversário da Susana e uma maravilhosa e hilariante festa de anos... com tudo a que ela tinha direito como bolo, prendas, fósforos-vela...

Regresso a custo... e com um atraso de 3 horas...

Mal comido e cansado da noite anterior e da viagem fui ter com o Mário para ver o Benfica ao Churrasquo... vários copos depois, uma conversa com o Márcio e com um empate em cima voltei para casa. Azar... o calor deu cabo de mim. Adormeci no último rer... Acordei em Lieusant... uma estação depois (a 6 kms, cortados por campos e auto-estrada). A estação é um terminal sem táxis, nem casas perto, um deserto... tive que arriscar e pus-me a caminho no que pensei ser a direcção certa, enquanto uma chuva ia dando uma ajuda para me manter acordado e provocavam um ruído curioso nas rodas da minha mala de viagem. 40 minutos depois cheguei a um hotel, daqueles como nos filmes bem à beira da estrada. Fechado. Ou pelo menos sem ninguém... esperei e 10 minutos depois apareceu um indiano do meio da chuva a perguntar se estava ali para o hotel... disse que sim, pudera, havia de estar para o que... abriu o hotel e disse-me que passava muito tempo sozinho e como se entediava ia passear. Conversou-se um pouco e pediu-me desculpa mas tinha mesmo que cobrar a noite porque de manha alguém podia aparecer… mas podia oferecer-me um copo e fomos para o bar do hotel. Conversou-se um pouco mais e lá acabei por subir ao quarto... e dormi profundamente.

Semana de ferias pela frente... com passeios constantes por Paris, entre cervejas, jantaradas, Benficas, copos com a Ana Maria & friends, jantar na "loge" da Dalila com o Zé, mais passeios, frio, mais frio, chuva, árabes e "ogres au plumes"...

Regresso às aulas, com os alunos cheios de saudades mas sobretudo com boas noticias de Portugal, o estagio da Susana no Bando promete...

Durante a semana destaque especial para a tarde-noite nos gays a meio da semana, e para a jantarada em casa da Charlotte e do Sebastian, no sábado. Uma bela tágine acompanhada por bom vinho, tabaco norueguês (reprovável), muitos risos e despertar de curiosidade por Roman Gary (ja comprei 3 livros e estou a gostar "La vie devant soi").

Recomeça uma semana... desta vez com a visita da mãe da Ana e da sua prima... estão maravilhadas com a cidade... compreende-se... são da geração da Paris - centro do mundo...
A meio da semana noite bem passada no bar do costume desfiando conversa com o empregado argelino... Babel continua a crescer...

Para terminar... a viagem a Portugal esta garantida de 17 a 27 de Abril, com passagem pelo Porto... e fiquei a saber que o Luís vem a Paris apresentar uma das peças da Comedias do Minho. Excelentes notícias...
Até breve...

Sem comentários: