domingo, junho 15, 2008

o Euro por cá

Grupo D

Suécia – Espanha 1-2
Perdi quase toda a primeira parte por estar no comboio a caminho de casa. Vi os seus últimos minutos e muita Espanha. Vi ainda um penalty claro por marcar contra a Suécia, aos 44 min. Os erros grosseiros da arbitragem sucedem-se e muitos deles com visibilidade no resultado final.
Na segunda parte houve ainda mais futebol dos nuestros hermanos sobretudo aproveitando muito bem a saída de Ibrahimovic e a falta dessa referência ofensiva dos suecos. A partir dos 70 minutos a Suécia estava completamente remetida ao seu meio-campo, a título de exemplo aos 72 havia 6-0 em cantos. Até ao final do lado sueco só um livre perigoso aos 78 min. Os últimos minutos deram muito coração e querer latino… e como é sabido tantas vezes o cântaro vai à fonte que… quem mais do que Villa… a marcar o golo espanhol aos 92 num contra-ataque.
Conclusão: a Espanha juntou-se já a Portugal, Croácia e Holanda nos quartos mas voltou a ficar patente que golos para os nuestros hermanos só em contra-ataque e isso talvez não chegue para ser campeão europeu.

Grécia – Rússia 0-1
Era talvez o jogo mais importante para as duas equipas porque uma derrota significava casa, por isso ambas fizeram os possíveis e impossíveis para ganhar. Interessante sobretudo o facto de a equipa helénica ter jogado balanceada para o ataque tal era a necessidade de um golo e da vitória. Aos 13 minutos o golo grego esteve à vista mas a bola saiu junto ao poste esquerdo. Aos 19 foi um remate russo que passou junto ao poste. A Rússia começou a partir dai a fazer a Grécia provar o seu veneno e jogando em contra-ataque. Aos 32 o golo caiu do céu para os russos, ou melhor foi o experiente guarda-redes grego que pareceu que tombou do céu tal a sua falha numa saída a um cruzamento. No lance seguinte quase que a Rússia, novamente em contra-ataque, matava o jogo. Alias, os minutos seguintes ao golo russo mostraram uma Grécia completamente baralhada nas marcações e a falhar passes na saída para o ataque. Pedia-se o intervalo. E ele lá veio sem grandes lances de perigo. Infelizmente para estas minhas pseudo-crónicas desportivas depois do intervalo fui para casa da Goretti e apesar de ter visto lá a segunda parte não tive possibilidade de anotar as jogadas. De qualquer forma friso que ficou um sinal mais claramente para a Rússia, que desperdiçou claras e soberanas oportunidades para marcar. E assim fica pelo caminho a campeã europeia…

Sem comentários: