domingo, julho 06, 2008

dificuldades de avançar nos tempos...

... A vida pós-PREC, a "famosa" queda do muro, a impossibilidade de tornar real uma verdadeira experiência comunista, a necessidade adiada de reformar os partidos comunistas num tempo que naturalmente mudou e com ele os seus paradigmas... tudo isto são demasiadas coisas para o Partido comunista encaixar... e isso nota-se...
Nota-se cada vez que tem que tomar uma posição em relação ao contexto internacional. A critica à politica externa dos EUA é constante nos comunistas e sobretudo o facto de optarem sempre por ser "amigos dos que são inimigos dos seus inimigos", mas é impressão minha ou a postura do PCP é a mesma?
Deixemo-nos de perguntas retóricas e assumamos que é óbvio que o partido comunista português sabe bem que as FARC são um grupo para-militar que há muito que esqueceu a sua índole comunista e que ganha dinheiro com o narcotrafico e com o rapto de pessoas.
Deixemo-nos de perguntas retóricas e hipocrisias gritantes... se queremos que o mundo se aperceba dos erros e crimes que Uribe e outros governantes façam não é apoiando terroristas ou soluções violentas... em democracia é nas eleições e na acção de movimentos sociais que se ganha a guerra... por muito difícil que seja de compreender ao PCP.

Ela está com bom aspecto!
Está com bom aspecto, Ingrid Betancourt. Fico contente por a ver assim. Mas há também quem diga: "Está com bom aspecto, Ingrid Betancourt." Não é esta frase igual à minha? De regozijo? Não. É dita exactamente com sentido contrário, em forma de acusação: "Esta gaja, que ainda em Outubro do ano passado parecia uma tuberculosa olheirenta, aparece agora toda lampeira, de olhos brilhantes e até gorda, com duplo queixo…" Sim, há quem diga isso. E há quem responda: "Eh pá, também me dei conta! Isto é muito estranho…" São diálogos da blogosfera.

A blogosfera é o inferno para Jean-Jacques Rousseau: atirou a mentira deste ("os homens são naturalmente bons") definitivamente para o caixote do lixo da História. Pelas formas tradicionais de comunicação - conversas, jornais, moções parlamentares do PCP - os homens aprenderam a não dizer o indizível. Se têm de engolir um sapo - o fim da prisão de Ingrid Betancourt é um sapo para muita gente -, metem uns "mas" no discurso mas engolem-no. Ninguém diz: "Estou chateado com a libertação dessa agente do imperialismo." Só na blogosfera essa sinceridade insana acontece. Enfim, talvez Miguel Urbano Rodrigues seja capaz de dizer o mesmo, mas Miguel Urbano Rodrigues não é exactamente uma forma tradicional de comunicação. É mais uma forma do Paleozóico.

Já a blogosfera é moderníssima. Gosto dela porque nela muita gente escreve bem e também porque me garante: sim, os pulhas existem e até se exibem. A blogosfera acreditou para si uma tal forma de impunidade que chega a ser enternecedor ir lá para ver o que as pessoas dizem. Sobretudo nesse superlativo absoluto simples da blogosfera (onde já não se escreve tão bem mas a sinceridade é ainda mais crua) que são as caixas de comentários dos blogues. Como o anonimato é quase a regra, as pessoas expõem-se até ao mais recôndito bocado de si, sendo este, a mais das vezes, o intestino grosso.

É aí que tenho encontrado "Luísa", em várias caixas de comentários, geralmente a defender a Cuba de Castro e os narcotraficantes das colombianas FARC. Foi ela quem me alertou, agora, para a célebre fotografia de Ingrid Betancourt, de Outubro de 2007, magríssima e olhos desalentados, e a comparou com a esfuziante mulher destes dias. Desde Outubro, sabe-se, houve várias possibilidades de entrega da prisioneira e é natural que a engordassem para as FARC não ficarem muito mal na fotografia (delas, as FARC). Mas "Luísa" prefere sugerir: a prisão de Ingrid Betancourt foi uma farsa e a prova é que ela aparece como quem vem de um spa.

Não vou insultar ninguém lembrando o que Ingrid Betancourt perdeu nestes seis anos - quem quer, sabe. E fico muito agradecido à blogosfera por me lembrar que há gente como "Luísa".

Ferreira Fernandes in DN, 6 Julho 2008

Sem comentários: