terça-feira, agosto 19, 2008

JO 2008

Não fico desalentado com aqueles que, nos grandes palcos, não conseguem lutar pelas medalhas. Nem todos podem ser Vanessas, Évoras ou Naides. Mas, de uma vez por todas, os atletas portugueses deviam perceber que a única coisa que se lhes exige é que compitam dentro das suas possibilidades; que façam o expectável. É só isso que o País pede.

Já chega de ver gente que se intimida "por estar pouco habituada a correr com tantas adversárias"; que se assusta "com o Estádio cheio"; que assume "não ter queda para as grandes competições"; que sorri e manda beijos para as câmaras depois de falhar um exercício ou que considera que "de manhã só é bom ...dormir". Os Jogos são uma festa única que todos os atletas devem poder desfrutar mas, na altura de competir, têm de ser exigentes consigo próprios. Caso contrário, estão apenas a enganar-se. A perder tempo.

Nos Jogos de Barcelona'92, onde estive a trabalhar, fiquei traumatizado com a indiferença com que alguns atletas aceitavam os maus resultados. Quase 20 anos volvidos pensava que essa mentalidade tinha acabado. Enganei-me. Mas, felizmente, nem todos são assim. Francis Obikwelu, por exemplo, foi um gigante na hora da derrota. Ninguém o viu a rir ou a fazer declarações absurdas. Ele sabe bem que há diferenças entre ganhar e perder.

Luís Avelãs in Record, 19 Agosto 2008

obs: Portugal vai muito provavelmente ter um resultado pior que em 2004... é necessário reflectir sobre essa situação...

Sem comentários: