quinta-feira, outubro 16, 2008

untitled

por uma rua
direita,
esse caminho torto.

eu que não encontro o jeito
de saber onde deixei a entrada.

de muralha fora.
de muralha dentro.

estou tão perdido. como ausente.

por uma rua direita
que tem nome de outra que não essa.
não percebo o sentido.
e estou perdido.

uma rua.

baralho e desbaralho. volto a dar. cubro e chamo.

a jogada foi de mestre. e eu fico a ver.

baralho e volto a baralhar estas frases soltas.
que a cabeça está perdida em mil anseios...

não percebo.
ou percebo.
no mail. no hope.

nota: angustias lá para as bandas de Óbidos

Sem comentários: