quarta-feira, dezembro 03, 2008

É oficial: Obama é americano!

Na noite das presidenciais, o humorista Steve Colbert virou- -se para um antigo professor, em Harvard, de Barack Obama e perguntou-lhe: "Então, como vai ser o socialismo?" Colbert é humorista, pode fingir ingenuidades tolas. Mais a sério, mas menos avisado, houve por cá um espanto por Obama ter escolhido, para a segurança e política externa, uma equipa musculada. Hillary Clinton, na Secretaria de Estado, Robert Gates, que passa do governo de Bush para o mesmo posto na Defesa, e o general Jim Jones, que foi comandante supremo da OTAN, para conselheiro principal de Segurança... Colbert perguntaria: "Então, não era o Dalai Lama para a Segurança? E o Michael Moore não ia ser promovido a general, para filmar a retirada das tropas do Iraque? E o Bono?..." Mas não, é oficial: o Presidente eleito vai tentar a todo o custo defender a América. Que coisa mais surpreendente! Querem ver que quando Obama dizia que queria matar (ele disse: matar) o Ben Laden era mesmo a sério?! Olha, esta era uma piada de outro humorista, Jon Stewart, na noite das presidenciais. Os humoristas americanos estão várias semanas à frente de alguns comentadores portugueses.

Ferreira Fernandes in DN, 3 Dezembro 2008

obs: A partir deste artigo e do post "E se Obama fosse africano?" no Raizes com Letras acho importante reafirmar que fui dos que achou desde o primeiro momento que Obama teria muito a dar à América e ao Mundo através da sua imagem, das suas raízes, até das suas propostas políticas... mas é aí que a questão se torna mais interessante... como Ferreira Fernandes aponta neste artigo e como já havia sido afirmado por diversos nomes da intelectualidade "direitista" portuguesa, Obama apesar de tudo é americano e como tal obedece a um imaginário onde os EUA continuam a ser o centro do Mundo... para o bem e para o mal... vamos deixa-lo trabalhar em calma nos próximos anos... mas nunca esquecendo que primeiro que tudo ele vai-se preocupar com a América. É que só depende de cada pessoa, estado ou continente limpar o seu próprio quintal... e como Mia Couto afirma "Só há um modo verdadeiro de celebrar Obama nos países africanos: é lutar para que mais bandeiras de esperança possam nascer aqui, no nosso continente."

Sem comentários: