segunda-feira, fevereiro 09, 2009

num momento

encurraladas, as palavras,
entre sons que hesitam em sair ao mundo.

presas, as palavras,
que não é hora nem momento.

agarradas, as palavras,
por braços do Ontem.

asfixiadas, as palavras,
pelos beijos dados em hábitos permanentes.

e assim entram as palavras em mais um daqueles recantos esquecidos,
para mais tarde recordar.

1 comentário:

Marília Gonçalves disse...

belo blogue!
os poemas sem assinatura deprendo que são teus. Parabéns!
abraço e um beijinho para ti e paa todos os nossos

Marilia Gonçalves