segunda-feira, fevereiro 23, 2009

Sem surpresas (de maior)

Foi uma cerimónia dos Oscares sem surpresas em relação aos principais vencedores, mas com algumas mudanças em relação às edições mais recentes: um apresentador não-cómico que foi bem divertido, menos tempo de partes mortas e um vencedor que não-é-uma-grande-produção-à-americana.

O melhor da noite foi evidentemente o discurso de Sean Penn. Se nos últimos momentos achei que o Mickey Rourke também merecia o Oscar a verdade é com Penn havia a garantia de um discurso mais incisivo e politicamente engajado. Foi o caso.



Referência ainda para os merecidos Oscares de Kate Winslet, Wall-e e Penelope Cruz. Também não houve surpresas no caso de Heath Ledger, embora fique com o amargo de boca em relação ao merecido segundo Oscar de Philip Seymour Hoffman. Paciência.

A única grande surpresa e sobretudo desilusão prende-se com o melhor filme estrangeiro... A derrota inesperada da Waltz with Bashir... pode ser, no entanto, que com este Oscar o filme japonês que não tinha distribuição em Portugal seja adquirido e passe no circuito comercial.

Oscares 2009 já eram... venham os próximos...

Sem comentários: