sexta-feira, março 20, 2009

"Che"

Chega hoje a Portugal "Che - o Argentino", primeira parte dos dois mais recentes filmes de S. Soderbergh e B. de Toro. Confesso que nunca usei t-shirts do Che. Não uso e nunca usarei. Mas, li muitos dos seus textos e algumas biografias e minha opinião é a mesma de sempre.

Ele foi um grande homem e um bravo lutador pela liberdade. Teve a sorte de ser de uma família com posses e cultura. Mas, quis sempre a liberdade e a independência através das armas e isso para mim pesa. Ao contrário do seu fiel amigo Alberto Granado, que pudemos conhecemos noutras das obras cinematográficas sobre a sua vida "Diários de motocicleta", que advogava uma luta sem armas, nem sangue, nem violência, Che sempre considerou essa opção como a única exequível. E foi essa mesma violência que o matou. A violência que se encontrava e encontra em tantos políticos um pouco por todo o mundo. A violência que faz o mundo girar. O que este novo filme parece mostrar é que há uma face negra e menos negra em Che, como em todo o mundo. Ninguém é perfeito, mas isso não o torna menos capaz de ser uma referência e herói para tantas pessoas.

Mas, sinceramente, se me perguntarem o que penso das t-shirts... duvido que ele gostasse de se ver retrato em t-shirts, canetas, canecas e outros produtos de marshendising.

Referência para a interessante entrevista de B. de Toro no Ípsilon (link). Mas, também era obvio que com ele seria sempre interessante.

Sem comentários: