segunda-feira, abril 20, 2009

Fugas. Cá dentro.

Estamos de passagem. Todos.
Mas eu mais. Do que tu ou eu.
Há um eu meu
que se separou há muito
daquele que ficou em terra a ver-me partir.
Há um querer ficar aqui. Previsível. A teu lado.
Nos teus sonhos. E meus.
Que de procurar encontrei apenas uma palavra
no dicionário
paginas antes, bem perto de viagem, uma viagem anónima...
que ouso fazer no comboio que passou depois do meu.
o barco que me levou logo a seguir, a mim.
no avião que pairou sobre um mar de coisas que desconheço.
que não conheço.
nem sei o preço.
certo. como o do anúncio que passa na tv ao fundo da estação.
Há um eu, meu, que se separou há muito.
Do qual perdi o contacto.
E, assim, contínuo
esperando pelo próximo comboio que me traga de volta
no apitar das portas.

Sem comentários: