sexta-feira, junho 26, 2009

still the Jackson

Morreu Michael Jackson - os meus pêsames, a morte nunca tem grande graça. De um ataque de coração dizem, mas a mim parece-me história mal contada. Ou melhor, solução de mau narrador: não sabendo o que fazer à personagem, para onde pode ela ir depois de tantas e tantas peripécias, exausta a imaginação (e compreende-se: ele foi o jovem prodígio na Motown, os telediscos de luxo, o casamento com a filha do Elvis, a mansão da Terra-do-Nunca, as operações ao nariz e ao pigmento, as confusões com miúdos, a fortuna feita e desfeita, etc., etc.), o Supremo Arquitecto opta pela solução mais fácil.
Para Ele, claro. Se Jesus, em vez de aprender carpintaria, tivesse tirado um curso maneirinho de escrita criativa, estaríamos talvez melhor servidos.

Rui Zink

Sem comentários: