sexta-feira, julho 17, 2009

untitled

Escarpa abaixo
Por entre pedras cortadas
Desce
O gato Simão
- louro, de olhos azuis e longos bigodes.
Um gato como as crianças felinas
De quatro patas mexidas.
Um herdeiro real dos mais belos gatos d’ontem.
E se a arriba levanta a cada momento
Uma pedreira ingreme, vigoroso e esguio cria o seu caminho descendente.
Ao fim, de patas presas na areia não é mais do que uma marioneta sem cordas num mar sem remorsos. Um cruel assassino.
Vai já longe, perdido, afogado o gato Simão.
Soubesse ele, o agora, e não teria
Desbravado tão insuspeita escarpa.

Sem comentários: