terça-feira, agosto 04, 2009

Ferreira Leite mostra o seu V de verdade

Hoje é o dia "D" no PSD para as listas de deputados às legislativas e a primeira ronda de reuniões da líder, Manuela Ferreira Leite, com distritais foi ontem. Umas foram inconclusivas e outras, como o caso de Lisboa, azedaram. E muito, a ponto de causarem a ruptura entre a direcção e a distrital de Carlos Carreiras.

Ao que o PÚBLICO apurou, a causa da ruptura foi a inclusão, por proposta de Ferreira Leite, de alguns nomes em lugar elegível, como António Preto e Helena Lopes da Costa, ambos deputados e arguidos em processos judiciais, a par da subalternização dos nomes propostos pela distrital - o primeiro está em 17.º lugar, zona cinzenta.

Ao PÚBLICO, o líder da distrital lisboeta, Carlos Carreiras, não quis pronunciar-se sobre nomes, mas admitiu que a proposta que ouviu de Ferreira Leite é "uma derrota pessoal". "Vou ponderar as ilações a retirar", afirmou. Não considera, para já, o cenário de demissão, devido aos compromissos que tem com militantes do partido, quer para as legislativas, quer para as autárquicas de Outubro. Carreiras disse ter reservas quanto às listas, por incluírem pessoas que representam "um passado em que se aplicaram más práticas".

O deputado António Preto é arguido num processo por crimes de fraude fiscal e falsificação e Helena Lopes da Costa é arguida num processo de abuso de poder por atribuição irregular de casas municipais quando era vereadora na Câmara de Lisboa.

A reunião com a distrital de Lisboa terá sido a mais tensa de todas as que se realizaram ontem entre a líder social-democrata e as distritais. Mas pela sede da São Caetano à Lapa passaram, pelo menos, José Cesário (Viseu) e Marco António (Porto). Ao que o PÚBLICO apurou, foram inconclusivas, pelo que as decisões ficam adiadas para hoje. Primeiro, na reunião da comissão política e, à noite, no conselho nacional, num hotel de Lisboa. "Amanhã [hoje] se verá", foi a única frase ouvida ontem pelos jornalistas à presidente do partido, Manuela Ferreira Leite, sobre as listas e a anunciada renovação, durante uma visita ao Tribunal de Vila Franca de Xira.

Em Coimbra, a lista também já estará mais definida. Deverá ser liderada por um vice-presidente, Paulo Mota Pinto, e incluir Fernando Antunes, Rosário Águas, Nuno Encarnação (filho do autarca da cidade) e Miguel Almeida.

Para hoje, estão agendadas outras reuniões com distritais. Com a de Vila Real, por exemplo, para resolver um dos "casos" das listas do PSD: o "sim" ou o "não" a Pedro Passos Coelho, adversário de Ferreira Leite na corrida à liderança, como cabeça de lista no distrito. Passos Coelho manteve-se ontem em silêncio.

Ao PÚBLICO, o líder da distrital de Vila Real, Domingos Dias, disse que ainda espera ser possível um consenso com Ferreira Leite. Propôs o nome de Passos, mas a escolha não é pacífica. Até entre os membros da comissão política, que não esquecem as contínuas posições críticas no último ano.

in Público, 04 Agosto 09


obs: Passos Coelho fica mesmo de fora e dois candidatos que estão indiciados entram nas listas... mas vamos acreditar que ela defende uma politica feita de verdade, sinceridade, honestidade e frontalidade...

Sem comentários: