quarta-feira, setembro 09, 2009

pisca

mete o pisca,
grande pisca que ilumina toda a nossa curva à direita.
mete o pisca,
mostra o pisca que vira decidido as rodas do carro.
o pisca.
que não pisca mais enquanto seguimos
rua adentro.
no sentido único para o nosso mundo.
tal e qual como descreveste
em mil conversas tidas.
na rua que estreita torna real
mil desejos.
não vires mais, agora. nem mais um pisca, agora.
pára o carro. sai lá para fora.
sente a noite quente e envolvente.
é assim o mundo que criamos. feito tal e qual à nossa medida.
um fato pronto-a-vestir daqueles antigos
como a música baixa do auto-rádio.
fecha os olhos. sente o peso das estrelas. que nos contemplam.
fecha os olhos. sente o cheiro das árvores. que nos perfumam.
guarda este momento. com amor.
que o meu toque suave que desliza pelo teu braço já cá não estará quando abrires os olhos da próxima vez.

Sem comentários: