sábado, setembro 19, 2009

um pixel de jesus


Na negritude ousaram encontrar
alguém que os levasse pela mão.
agora é tarde! - ainda lhes gritei.
Mas eles seguiam já, contentes, carreiro abaixo
com uma cruz podre aos ombros.
Indiferentes aos urros de dor que
Jesus lhe reservava.
Agora é tarde! - que ele não passa de um pixel das vossas memórias.

Sem comentários: