segunda-feira, outubro 26, 2009

história de amor V

Apanhavam sempre o comboio das oito. Chegavam sempre à plataforma dois minutos antes o que dava para cada um ler a capa do jornal e a crónica da última página. Depois dobravam o jornal para entrar dentro do comboio e só voltavam a abrir duas estações mais tarde, depois de sair a maior parte das pessoas. Liam apressadamente as secções de economia e política internacional e paravam sempre na parte de cultura. Nunca os vi com um livro mas sei que gostariam de ler os livros que eram recomendados nos seus jornais. Não trocavam olhares, muito menos palavras mas sei que havia tanto que os unia. Saíam vinte e sete minutos depois de terem entrado no comboio. Ele para a esquerda, ela para a direita. Nem uma palavra. Nem um último olhar. E tinham tanto a dizer. Eu sei que sim. Pico bilhetes há anos. Sei ver a marca do amor no bilhete amachucado. Juro que amanhã arranjo forma de se conhecerem e poderem trocar de jornais até ao fim.

Sem comentários: