sexta-feira, novembro 06, 2009

história de amor VIII

a janela está fechada. porque insiste em cair uma chuva de outono sobre os vidros que não foram limpos. ainda bem que não limpei antes. agora estaria ainda mais chateada. a comida arrefece no prato e tenho a certeza que não me vou levantar deste sofá quente para terminar uma comida insípida. o livro aberto na mesma página há horas. uma voz rouca que não se ouve. uma voz rouca dos berros da última discussão. a porta deve ter ficado aberta. bateste a porta com tanta força que não ouvi o trinco. deve estar aberta, a porta. não faz diferença. a janela está fechada e não há corrente de ar. a comida arrefece no prato, mas não muito. os meus olhos fecham-se. lembro-me da tua boca. era bem bonita. foram tão feias as últimas palavras. que pena acabar assim.

Sem comentários: