sábado, novembro 14, 2009

não encontro

aquela palavra que te diga tudo.
que te faça entender
que estou lá sempre. em todos os
momentos.
tanta palavra escrita em tanta
folha perdida.
palavras
gritadas,
sussurradas,
despidas de si mesmas.
não percebo como não conheço mais as palavras.
palavras. como me metem nojo. como só me apetece matar as palavras.
palavras. agora que não me confessam
que palavra é aquela
que te faz sorrir e acreditar.
que amanhã vai tudo ser mais bonito.
não encontro. nem ouço a tua voz do outro lado.
sou um triste mapa sem norte.

Sem comentários: