sexta-feira, dezembro 04, 2009

breve pombo-correio

o breve pombo-correio
passou por aqui, lesto.
tinha uma hora para chegar a nós
e trazia apenas uma rama, vã.

o pobre pombo-correio
que não voou mais
naquela manhã, florida
foi o derradeiro tiro do miúdo
sozinho.

o morto pombo-correio,
que jaz na estrada,
esconde-se na sombra do jacarandá
que tantas vezes nos viu, apaixonados.

o pombo-correio
que te escrevo
já não é correio azul.
ele é o pombo-recado
da morte imprevista.

Sem comentários: