quinta-feira, janeiro 21, 2010

do sol


faz calor lá fora.
tu fechas a janela com cuidado.
o vento quente que entra matreiro
há muito que secou a sala velha.
a madeira range debaixo dos teus pés.
gostas desse som.
lembra-te a tua casa de pequena.
eu sorrio.
sei que é fácil fazer-te feliz.

ajeitas os girassóis
comprados esta manhã na praça da vila.
estão frescos e luminosos.
convém não apanharem sol. directo.
pegas numa jarra amarela, que acho que é da tua mãe, e espetas as flores com apenas um pouco de água.
isto chega, garantes.
eu aceito.
encostas à parede e dizes-lhes uma palavra querida antes de virar costas.
é justo.

lá fora o dia continua quente.
como os infernais finais de tarde naquelas ilhas perdidas.
e
eu
perco-me no sol de girassol.

p.s: Parabéns!

Sem comentários: