sexta-feira, fevereiro 26, 2010

civiliçassão

sou uma civilização incompleta
feita apenas de mim.
falta-me um tu
a cada passo que dou.

tenho a história dos gregos
na ponta da caneta
aprendida nas frases dos persas
que me contavas antes de adormecer.

não sou presente nem passado,
peixe nem carne,
nem morto nem vivo.
acho mesmo que nem nasci,
ou nasci na canção de outro músico.

tenho um horror à civilização.
às regras de e sobre o amor.
posso escrever palavras e mais palavras
mas não me peças, amor, que hoje escrev
civilização
como quem ama a vida.

Sem comentários: