segunda-feira, fevereiro 01, 2010

Glasnost

Quem, como eu, trabalha há tanto tempo com (não “em”) política, acaba por reter na memória alguns episódios hilariantes*. No período da Glasnost, por exemplo, Gorbachev sujeitou-se várias vezes a ser entrevistado por jornalistas ocidentais. Um deles lembrou-se de lhe colocar uma questão algo rebuscada, a saber, “Que rumo poderia a História ter seguido se, em vez de Kennedy, tivesse sido Khrushchev o assassinado em 1963?”. 


Gorbachev pensou um pouco – não muito, ele era repentista – e respondeu, 
“Não creio que o senhor Onassis tivesse casado com a senhora Khrushchev”. 
----- 

* Não é o caso deste exemplo, que li algures há pouco tempo e publiquei aqui apenas para fazer figura.


Sem comentários: