domingo, março 07, 2010

C.


Cidades

«Mesmo em Raissa, cidade triste, corre um fio invisível que liga um ser vivo a outro por um instante e a seguir se desfaz, e depois torna a estender-se entre pontos em movimento desenhando novas rápidas figuras de modo que a cada segundo a cidade infeliz contém uma cidade feliz que nem sequer sabe que existe.»

Italo Calvino, "As Cidades Invisíveis", Editorial Teorema, 2002

via Trama

Sem comentários: