quinta-feira, abril 01, 2010

da leitura

"É no entanto verdade que o leitor tem de saber tentar falar a língua do livro. Falar a língua do livro e abandonar-se à sua melodia, deixar-se ir na corrente, em vez de desperdiçar forças remando contra a maré. Não digo que nos tenhamos de submeter, apenas que devemos estar disponíveis. O livro, ao ser escrito, já deu um grande passo na nossa direcção: é uma dádiva. Cabe-nos agora retribuir a gentileza e dar um passo na direcção do livro."

Rui Zink in O Anibaleitor

Sem comentários: