quarta-feira, abril 21, 2010

a derradeira história de amor

a última história de amor nunca é a derradeira. insisto sempre me trazer algo mais para a mesa. é uma última flor, uma última viagem, um último beijo. tu sorris. tens um belo sorriso. inocente. agradeces. agradeces sempre. e dizes que não.
desta vez não. desta vez vamos seguir caminhos separados. tu no estrangeiro, eu de volta à minha pequena cidade, donde nunca devia ter saído segundo o que me dizias quando discutíamos. eu nem acho que fossem discussões. tu tinhas sempre razão, eu simplesmente ainda não a tinha visto.
lembro-me da última vez que te vi. era uma sexta. final de tarde. não sei se trabalhei nesse dia. talvez não. passei por tua casa sem avisar. hesitaste mas deixaste-me subir. estava diferente a casa. móveis novos e acho mesmo que tinhas pintado a parede. ficava bem, acho que gostei. tinhas roupa espalhada pelo chão e posso mesmo jurar que havia coisas de homem. talvez, mas não quero pensar nisso. perguntaste se queria algo. pedi água. eu que nem gosto de água. mas a garganta estava seca e a voz falhava. parece que eu não tinha uma voz bonita, pelo menos dizias-me isso. sentámo-nos à mesa feita pelo meu pai. estava com uns cortes duma faca de serrilha. apeteceu-me gritar contigo "fodeste a mesa do meu pai. que merda. fodeste a nossa relação. fodeste a mesa do meu pai. que caralho." não disse nada. engoli em seco. e bebi um copo. a água estava tépida.
perguntaste ao que vinha. não tinha resposta. disseste que para isso era melhor sair já. não havia nada mais a falar. até porque a tua vida ia melhor. muito melhor. a minha nem por isso. era uma win-lose situation, como me ensinaste. aprendi muito contigo.
levantei-me. desajeitado como sempre deixei o copo cair. a pouca água que restava espalhou-se pelas fendas na mesa e o copo esmagou-se violentamente contra o chão de azulejo. "deixa.deixa estar." disseste. e eu deixei. acho que cheguei a dar um último beijo na cara. estavas com a pele em óptimo estado. ainda bem. devia ser dos cremes caros que usavas. "até um dia?" "até um dia."

Sem comentários: