domingo, maio 30, 2010

excerto

tenho pedaços de texto soltos por aqui. são migalhas dum pão que vou comendo entre cada viagem de comboio e espera do barco. são momentos escritos num papel, telemóvel ou jornal matutino. são sensações, opiniões e tudo o mais que aí caiba. que reescritos se tornam parte dum passado que quero fixar. manter para memória futura. guardar no baú do tempo. e deixar solto nas linhas o que não é mais linear. e se o metro vem aí deixa-o passar. há sempre um atrás do outro.

Sem comentários: