segunda-feira, maio 17, 2010

neste dia último

neste dia último
faço o teu telefone tocar sem parar.
não é minha a culpa deste toque sem fim.
é apenas um jeito meu de querer estar aí.
tu tiras-lhe o som e deixas os toques acumularem-se.
até ao último traço de bateria.
até ao fim.
até parar.
até à última vez.

neste dia último
lembra-te:
o telefone continuará a tocar. sempre que precisares. sempre que assim o queiras. muito depois do último toque.

é um jeito tão nosso de estar próximo
mesmo estando longe.
é um jeito tão nosso de marcar um número amigo
mesmo quando não te abraço.

neste dia último,
estou aí. contigo.

neste dia último
sou o braço firme que te leva pela estrada.
porque amanhã há um novo sol. garanto-te.
amanhã há um novo sorriso depois dessa lágrima.
porque amanhã há palavras cravadas a amizade.

neste dia último
há um abraço sem princípio nem fim.

força!

Sem comentários: