quinta-feira, maio 06, 2010

[pensar nela]

Passei toda a noite, sem dormir, vendo, sem espaço, a figura dela,
E vendo-a sempre de maneiras diferentes do que a encontro a ela.
Faço pensamentos com a recordação do que ela é quando me fala,
E em cada pensamento ela varia de acordo com a sua semelhança.
Amar é pensar.
E eu quase que me esqueço de sentir só de pensar nela.
Não sei bem o que quero, mesmo dela, e eu não penso senão nela.
Tenho uma grande distração animada.
Quando desejo encontrá-la
Quase que prefiro não a encontrar,
Para não ter que a deixar depois.
Não sei bem o que quero, nem quero saber o que quero. Quero só
Pensar nela.
Não peço nada a ninguém, nem a ela, senão pensar.

Alberto Caeiro

2 comentários:

Kenia Cris disse...

Fernando Pessoa, eterno. Adoro esse trecho. Bom demais vê-lo aqui. Gosto imensamente do seu blog, João, acho o conteúdo extremamente inteligente e adoro vir aqui. Eu venho muito apesar de nem sempre comentar - nem sempre tenho algo à altura pra dizer. =P

Dediquei um selinho a você no meu blog de poesia. Não precisa exibi-lo e nem passá-lo adiante, só passei pra deixar o link caso deseje conferir.

Abraço carinhoso!

http://poesiatorta.blogspot.com/2010/05/presente-surpresa-surprise-gift.html

JJT disse...

Olá!

Realmente não sou muito de exibir ou passar estas coisas... mas sou de agradecer.
Muito obrigado pelo reconhecimento.
Muito obrigado por leres os meus textos e os dos outros.
Abraço,

joao