sexta-feira, junho 18, 2010

o mundial por aqui

Argentina - Coreia do Sul (4-1)
Os jogadores estão lá e todo o mundo a considera uma das favoritas, o que falta então? Marcar mais golos? Jogar bem? Seja feita a vossa vontade respondeu o dios Maradona.

Os sul-americanos entraram bem e Di Maria parecia que finalmente chegou à África do Sul, depois de um primeiro jogo muito apagado.  Aos 16 e 33 minutos os dois primeiros golos. Livres descaídos sobre a lateral e golo... A partir daí a Argentina perdeu um pouco de ritmo e a Coreia de Sul chegou ao golo já nos descontos num lance onde Demichelis parecia pensar que já estava no balneário.

O reatamento trouxe pouca velocidade e ainda menos lances de perigo e só a partir dos 70 minutos o jogo reiniciou realmente. Aos 76' e 80' Higuaín - que tem sido muito criticado - marcou mais dois e conseguiu o primeiro hat-trick do mundial. Merecido!

Tal como o Uruguai, também a Argentina parece crescer de jogo para jogo e já oferece espectáculo e golos.

Grécia - Nigéria (2-1)
Jogo importante para as duas equipas que se perdessem ficavam irremediavelmente arredadas.

O jogo começou durinho e mal jogado. Aos 16 minutos Uche marcou um livre para os africanos e a bola só parou lá dentro. A partir daí só uma anormalidade poderia trazer a Grécia de volta ao jogo... Kaita lembrou-se de agredir um jogador helénico e pôs a sua equipa em risco logo aos 34'. Nem dez minutos depois os europeus chegaram ao golo do empate e a segunda parte prometia (nem que fosse esforço e muita luta).

Assim foi a segunda metade.. muito trabalho, muita táctica, pouco jogo. E até o golo aos 71 minutos, por Torosidis, só aconteceu porque o guarda-redes nigeriano esteve mal, muito mal.

Foi um jogo fraco e sem interesse de maior. Mas, acima de tudo foi mais um jogo que fica marcado por mais uma expulsão parva...

França - México  (0-2)
Je suis Domenech! E a mim ninguém questiona parece ele dizer a toda a hora. Um perfil em tudo semelhante ao de Queiroz e uns resultados em tudo parecido.

Já aqui havia dito que o México prometeu muito no primeiro jogo e a França nada. E assim foi. 
A França teve mais posse de bola mas o perigo vinha sempre dos contra-ataques mexicanos. O árbitro procurou ser figura de destaque e houve alguma injustiça na amostragem dos cartões amarelos. O intervalo chegou com um empate discutível.

Na segunda parte só deu México. O primeiro golo surge no limite do fora-de-jogo mas há muito que americanos prometiam a sua chegada. Pelo contrário, o jogo dos europeus era deprimente e vazio de ideias. No ataque e na defesa, como se viu no penalty de Abidal que resultou no golo de Blanco aos 79 minutos.

Acabou o jogo. Os mexicanos faziam a festa e os franceses contas à vida. Com apenas um jogo pela frente é impossível aos europeus não relembrar o mundial de 2002, e fica evidente que sempre que a França sai da Europa joga pouco e mal. Talvez por isso o sr. Platini tenha feito os possíveis para dar o Europeu aos seus compatriotas...

Sem comentários: