segunda-feira, junho 28, 2010

lixo

Os sítios dos jornais na Internet estão cheios de coisas como estas:
portugueses..zinhos de *****, merecem gentalha de ***** !!! (rui correia, torres vedras)

Fantastico.... com as descidas o preço mantêm-se inalterado, mas as subidas já levam ao agravamento dos preços. P que os pariu a todos! Isto só vai ao sitio à porrada. (Luis)

é pá ajudem-me por favor o DIAS LOUREIRO não estava nesta pois não? ah,ah,ah, estava em outra , sucias , comunas , psd , cds e os gajos da liamba são todos iguais .Quer queiram quer não desde 24 de Abril de 74 até hoje é só gatunagem , não percam tempo com conversas de cuscuvelhice .... (LETHES, olho do cu)

Mari(quinhas) Disz-me quais as habilitações da tua esposa e qual o vencimento. Compara com administrativos ou empregados de balcão no privado(só se é por vender dinheiro que deve ter regalias) (antonio, tomar)

o senhor presidente da republica tem carradas derazao.

O PINOQUIO E QUE AINDA NAO NOTOU POIS PARA ELE E COMO SE CONSTA TUDO A GRANDE.ESTAMO-NOS SEMPRE A QUEIXAR QUE SOMOS ATRAZADOS EM RELACAO AOS OUTROS PAISES.POIS EM LADROAGEM DO PINOQUIO ESTAMOS EM PRIMEIRO LUGAR DESTACADISSIMOS.MAS O PORTUGUESITO SOFRE DOE FAITA DE MEMORIA. (anonimo)


E +70% do universo de eleitores Portugueses discorda da pinosokretinice aguda! 42% k mandam pu-liticos às urtigas por terem convertido País em sucatal de sucatais multiplos,+28% k votam noutros partidos mas nao no "quebrado xuxa-lista"!Para o palhaço retórico de cócoras no pu-leiro do poder xuxalista ainda dá pq +1400 boys(bois xuxalistas) ainda USURPAM ROUBAM nas instituiçoes fundaçoes assessorias consultorias etc sem qq penalizaçao de 5% nos salarios abismais(maiores da Europa por fazer nadas). Só os salarios dos pu-liticos(e do POVO COMUM) são afectados pq pu-liticos são "eleitos" e o POVO ESCRAVO é eleito pelos pu-líticos. Mas boys (como ex-"put"alhada" na pt) de nomeação xuxa ainda são intocáveis: RUA COM ESTA CANALHOCRACIA XUXALISTA. (ruicb52)

Agora que isto jà anda tudo cA.G.A.D.O.e sem sabão e papel higiénico a ***. vai aumentar (algarve)

Aonde andou este bordamerdas desde o 25 de abrilde 1974 até ontem ? So se lembrou ontem dos excombatentes ? (Anónimo)

Oh Barreto vai cantarolar baladas para o Alegre, que é da tua laia. (maracutaia, distrito de Aveiro)

Isto vai aqui publicado exactamente como vem nos muito respeitáveis jornais portugueses, com os insultos, as obscenidades, os erros de ortografia, os pseudónimos, os anónimos, as letras maiúsculas e minúsculas. Incluindo o PÚBLICO, onde, no momento em que escrevo este artigo, um comentador anónimo acabou de tratar assim o primeiro-ministro: "Chega de vigarice! Onde esta a credibilidade deste palhaco? OS Portugueses nao estao ja fartos de tanta mentira, trafulhice e vigarice?"

Há milhares e milhares deste tipo de frases, embora não haja milhares de pessoas que lá as coloquem. Muitas vezes um só emulo do "maracutaia" escreve dezenas de comentários dividindo-se por vários locais ou repetindo dezenas de vezes o mesmo comentário. Funciona como um grito contínuo, umas vezes com um nome, outras vezes com outro e outro, mas o gritador dos insultos é o mesmo. O anonimato também é regra, mesmo quando os jornais exigem uma identificação formal, tantas vezes fictícia. E, como se sabe, escondidos atrás de pseudónimos e do anonimato, os gritadores de obscenidades gritam mais alto cheios de coragem.

Duvido que um só destes jornais, do respeitável Diário Económico onde "LETHES, olho do cu" escreve, até ao popular Jornal de Notícias onde "ruicb52" nos explica sobre o destino desejado aos "ex-"put"alhada" na pt", alguma vez publicasse uma única destas frases na sua edição em papel nas "cartas dos leitores". Se é assim, por que razão praticamente todos os grandes jornais portugueses estão cheios nos seus sítios em linha destas expressões de baixaria inqualificável, que em muitos casos são puros insultos que em tribunal levariam os seus autores a expeditas condenações? Por que razão tudo é tão elegante no jornal em papel e todo o lixo imaginável se encontra na Internet? E mais: dêem as voltas que derem, o autor destes epítetos sobre "o palhaço retórico de cócoras no pu-leiro do poder xuxalista" está mesmo a escrever no Jornal de Notícias, e o dos "portugueses..zinhos de *****", mesmo protegido pelas estrelinhas, está mesmo a escrever no Diário Económico. Convinha não se fugir à responsabilidade por detrás do argumento que estas frases não são de responsabilidade dos jornais que de facto as publicam. Tudo o que está no jornal em papel, tudo o que está no jornal em linha, é de responsabilidade das suas direcções e redacções.

A razão primeira destas práticas é simples: os jornais ganham dinheiro com isto. O facto de os seus sítios em linha terem comentários não-moderados, ou então "moderados" de tal forma que tudo isto passa pelo crivo do "moderador", aumenta o número de visitas e pageviews e torna o sítio mais valioso em termos de publicidade. Como nos blogues, a manutenção de caixas de comentários abertos e não-moderados tem como resultado a invasão desta baixaria e o aumento do tráfego. O convívio com este lixo dá dinheiro.

Depois há outro tipo de argumentos, já a tender para o intelectual. Os comentários seriam uma forma do "povo", que não tem acesso a outros mecanismos, se fazer ouvir e dizer o que pensa dos poderosos. Seriam um mecanismo de "democracia directa" ou de "democracia participativa". Só que existe um pequeno problema, é que a "democracia directa" não é democracia, mas sim demagogia. De facto, os mecanismos do populismo e da demagogia proliferam hoje em dia na Internet, com a utilização de remailers que todos os dias enchem as caixas de correio de "denúncias", apelos à vingança e à "acção directa", o conhecido método com que se roubam gravadores. Também aqui não me parece que a linha editorial do Diário Económico assente no princípio de que "sucias , comunas , psd , cds e os gajos da liamba são todos iguais", e duvido que em dizê-lo se ganhe alguma coisa em termos de qualidade da democracia.

Há também o argumento que tudo se pode dizer na Internet senão está-se a fazer censura e que por isso as caixas de comentários são uma manifestação da liberdade irrestrita que traduz o espírito da Internet. Na verdade, tudo isto é falacioso, a não ser que se entenda que as sociedades não devem ter lei nem ordem e a Internet vai continuar a ser a selva pura onde tudo se pode dizer, sem responsabilidade. Defendo há muito que o que é crime cá fora é crime lá dentro e os jornais, ao permitirem que nos seus sítios haja insultos ou mesmo acusações graves, correm o mesmo risco que qualquer cidadão que possa ser acusado de ter abusado da liberdade de imprensa para caluniar ou pôr em causa a dignidade e o bom-nome de alguém. A liberdade de expressão nada tem a ver com isto e protege as opiniões, por excessivas e provocatórias que sejam, mas nunca o crime.

As caixas de comentários cheias deste lixo são um sintoma de degradação do jornalismo contemporâneo e não uma sua força. Mostram como a retórica da referência e da respeitabilidade, assim como a deontologia, ficam à porta dos sítios em linha considerados, na prática, um local menor onde os jornais de referência se tornam num repositório de lixo.

José Pacheco Pereira in Abrupto - versão do Público de 12 VI 10

Sem comentários: