quinta-feira, junho 10, 2010

voltou o tempo

encontro o relógio perdido. e logo as primeiras folhas de livros se animam na estante. parece que agora tenho tempo. não é todo o tempo do mundo, que isso acho que nem existe. mas é algum, daquele que se acumula e traz consigo um misto de descanso com preguiça. depois virão os dias de calor. e as multidões que se mexem com areia nos pés entre casa e praia. então, ficarei mais sozinho. longe daqueles que não compreendo. distante do desejo de me acotovelar entre uma toalha da compal, um chapéu da nivea e uma mala da coca-cola. serei um apenas mais um mini-mercado de sentimentos estranhos e diferentes quando todos esperam um super. sim, porque todos esperam mais de ti. e tu nunca tens mais para dar do que a ideia de que és forte. voltou o tempo. e com ele a cabeça que roda e roda. que pensa em coisas. que (d)escreve palavras. com ele o caderno sai da mochila e enche-se dos minutos roubados ao futuro no último mês. não será a mesma coisa, dizem. concordo. mas, também não tenho muito mais para dar. porque agora que voltou o tempo apenas tenho para dar uns minutos gastos dum passado deixado sozinho na cabine de esquina ao pé da avó.

Sem comentários: