quinta-feira, agosto 12, 2010

conclusões sem resposta

tenho um jeito assim de odiar as pessoas. um repugnar presente que me torna ausente. um abandono de quereres. um inferno vivo.
e quando ao final do dia fecho a porta de casa com estrondo, não percebo ainda porque insisto em sair todas as manhãs cedo.

Sem comentários: