segunda-feira, setembro 20, 2010

pausa

Sentada, de costas para mim, olhas
esse ponto em que todos os sonhos
se concentram; e a serenidade envolve-te
com o seu lençol efémero, para que
não penses em mais nada.


Nuno Júdice

Sem comentários: