sábado, outubro 23, 2010

[Digam que foi mentira]

Digam que foi mentira, que não sou ninguém,
que atravesso apenas ruas da cidade abandonada
fechada como boca onde não encontro nada:
não encontro respostas para tudo o que pergunto nem
na verdade pergunto coisas por aí além
Eu não vivi ali em tempo algum.



Ruy Belo
(para o Hugo)

Sem comentários: