quinta-feira, dezembro 30, 2010

o dez de dois mil e dez

1. EDITAR. das palavras às fotografias. das minhas palavras às dos outros. do meu olhar à fotografia. e depois editar a minha vida. cortar a direito, sublinhar, recuar, pensar e questionar cada palavra, cada gesto, cada momento, cada história.

2. HISTÓRIA. ser parte dela. ser ela. da minha própria história ou escrevendo a história dos outros. investigador e tutor. ser criador ou ser apenas uma história com final feliz.

3. IGNITE. e ser feliz ao ultrapassar medos, inseguranças, receios. falar com micro, como gente grande, e olhar olhos nos olhos, os olhos que nos olham. e apresentar a todo o mundo, o meu mundo, o meu projecto10.

4. PROJECTO10. " o projecto10 é apenas isso, um projecto para 2010." e, contudo, mudou para sempre a minha vida. obrigado a todos que passaram por aqui. que tornaram real este sonho. que fizeram comigo esta viagem.

5. VIAJAR. alemanha, turquia, portugal. o meu país de norte a sul, do interior ao litoral. de fora para dentro e de dentro para fora. uma viajem que foi sobretudo por mim mesmo, via amigos.

6. AMIGOS. sempre lá. sempre cá. ignorando os "lugares comuns" e as "frases feitas". ontem como hoje. foram cenários sem fim: noites de "vai tu", santos populares, benfica campeão, casas abandonadas no porto, quartos apertados em lisboa, montes escaldantes e ruas cruzadas de cerveja na mão. foram cenários sem fim. até nos carros de sempre.

7. CONDUZIR. e pegar no carro, no bólide, na viatura e no automóvel. cuidado que transpiro. olha a velocidade que cresce. olha o medo que vira desconforto e olha o conforto e a habituação a chegarem, assim de mansinho, como uma quinta na autoestrada. sem ter mais medo de morrer.

8. MORTE. hoje mais presente do que ontem. do que nunca. certamente menos que amanhã. um ano inteiro repleto de negro, que é por vezes menos escuro, apenas sombrio. não nos ensinam a viver isto. como se pode viver a morte? não ensinam isto na primária, liceu ou universidade. aprende-se sim na conversa de amigos pela noite fora ou nas palavras guardadas em pequenos tesouros prontos a desembrulhar numa insónia. aprende-se com o tempo. com o aproximar da morte. quando se percebe que temos que guardar o que os que foram nos deixam: o melhor da vida é mesmo isso, viver.

9. VIDA. e não falo dos nascimentos que não vi. falo apenas da vida que está em tudo o que disse atrás, do editar à história, do ignite à viagem, dos amigos à condução, do transformar a morte em vida. e é tão simples, e é tão fácil como pegar num cliché e dizer que no fundo tudo se resume ao...

10. AMOR. eu que em dois mil e dez conheci o "r" e o "a" como nunca. vi o fim de algo que é suposto não ter limites. eu que vi o principio do amanhã já hoje. vi a ruptura e o apaixonar. o fim e o inicio como um ciclo. de vida. da minha vida, que é tal e qual como a história de uma qualquer outra vida por escrever. venha o papel e a caneta...

Sem comentários: