sábado, abril 09, 2011

[o pássaro]



 Folha a folha como se constrói um pássaro
e entre si o ar e a árvore

se iluminam.

O pássaro canta, alguém escuta, as coisas

em desiquilíbrio

no grande buraco luminoso para cima.
E o canto continua tudo entre árvore e ar

com a luz desarrumada folha a folha.

E cada coisa regressa de si mesma.
(...)


Herberto Helder
In Ou o Poema Contínuo, Do Mundo, IV
ilustração de Toshiyuki Fukuda

Sem comentários: