terça-feira, maio 31, 2011

the tree of life

"o que é a subjectividade?" 


"é a qualidade do que é subjectivo!."

mas também dizem que é escolher. 
inocentemente escolher um caminho.
pode ser o caminho da natureza ou o caminho mais natural.
pode ser o caminho da graça. pode até ser um caminho com graça. 
aquela graça que as inocentes crianças trazem em cada pequeno momento. quer ele seja uma dança louca entre esguinchos de água, quer ele seja o dançar de mão matreira fora do carro.
também dizem que malick é um amante da inocência.
é uma opinião subjectiva, digo eu. só porque não dá entrevistas, não faz promoção aos seus filmes, e é um católico crente que discute teologia nas filmagens. é por isso que é um amante da inocência? ou não?
é subjectivo. é subjectivo o caminho que cada um segue. o caminho em que se acredita. inocentemente se acredita. é subjectivo. porque pode ser aquele das imagens bbc - vida mais ou menos selvagem -, mas pode ser o dos crentes que devotos toda uma vida recebem em troca... uma mão cheia de nadas.
não mates o pai. não desejes a mãe. não traias o irmão. não te deixes levar pelo caminho do pecado. que crescer também pode ser tudo isto. e aqueles olhares humanamente ausentes de inocência. apenas pecado. apenas culpa.
e temos as imagens da natureza. brutalmente divinas. e os gestos terrenos, que nunca são feitos à Sua imagem.
que sobra então neste caminho de duas saídas?
a beleza inocente das imagens da natureza.
                                                            e a inocência da natureza humana.
são apenas graças em volta das palavras.
são apenas imagens em volta de um filme.
de culto? não sei. é subjectivo.

Sem comentários: