sábado, outubro 29, 2011

quando não encontro os teus olhos

Aveiro 11

quando não encontro os teus olhos
é toda uma manhã que vem órfã de um deus qualquer.
é como uma boca. a tua boca.
que vem ardente de um lápis qualquer.
e não encontro o jeito
de me perder nessas setas quebradas
e ser apenas mais um riacho teu.

Sem comentários: