quinta-feira, abril 12, 2012

Com o coração a cheirar a lixívia

«(…)No futebol, talvez por ser matéria bem mais importante que a política e a arte, não se admitem gostos. Há uma única excepção. Quando a brava selecção lusitana defronta a estrangeirada bárbara, não só os comentadores como os próprios jornalistas podem festejar o que quiserem, designadamente atirando ao ar os papelinhos que resultaram de terem rasgado o código deontológico. (…) Um adepto do Vasco da Gama chamado Carlos Drummond de Andrade escreveu: “Para o diabo vá a razão quando o futebol invade o coração.” Felizmente, a RTP já não foi a tempo de lhe mergulhar o coração em formol.»  
 
Ricardo Araújo Pereira in Visão, 12.IV.12

Sem comentários: