domingo, maio 06, 2012

"Não somos um país qualquer..."

"...somos a França." E, infelizmente, esse pode ser o seu maior problema desta (tão esperada) eleição. Hoje a França é apenas e só a França, apenas um dos mais populosos países da Europa, apenas um dos estados com mais história,  hoje a França é apenas passado.

Os tempos mais recentes até têm sido ao mais alto nível, mas apenas como acompanhante de luxo.  Os últimos líderes franceses não têm conseguido de forma alguma evitar a sua perda de poder e influência na Europa em comparação com o poderio da Alemanha, Inglaterra e, em certo momento, até da Itália.

E pode Hollande alterar algo? Sinceramente não acredito que mude muito. Se a esperança em Obama era imensa, os resultados apesar de serem positivos têm ficado aquém. E o presidente americano quando foi eleito tinha já uma enorme vantagem sobre o novo governante francês... experiência política.

Mais do que isso, Hollande pode ter recebido um presente envenenado com esta vitória, porque os próximos tempos serão deveras complicados e esta "nova oportunidade" da esquerda é única e, talvez, irrepetível.

Espero mesmo que me engane. Quero mesmo estar errado... Mas não acredito que mude muita coisa em termos europeus com Hollande, sobretudo porque me pareceu que houve mais voto anti-Sarkozy do que pró-socialismo. A Europa espera um novo líder. Uma nova referência. Ainda não foi hoje...

Sem comentários: