sexta-feira, agosto 31, 2012

Era um homem simples

Procurava sempre o riso fácil, a jogada óbvia e o golo. O golo. Mas qual é o teu objectivo?, perguntavam-lhe. Sentir a bola a rodar. Sentir? Isso não se sente. Mentira. Garanto-vos que se sente. É fechar os olhos e ouvir. Com atenção. Desligar de tudo. Como o pai que ouve o filho do outro lado da casa. A bola é a tua criança? Talvez. Talvez um pouco. Talvez seja tudo uma criação nossa. Talvez por isso haja semanas tão duras. Talvez., concordaram.

Sem comentários: