sexta-feira, agosto 24, 2012

o que ele vive

é um livro anacrónico do london. é uma espécie de incompreensão. é um género de revolta. é um tipo de angústia. é a incapacidade gritante que asfixia os sem voz. e ele prossegue assim, socorrendo-se de frases feitas na esperança de sentir a normalidade alheia. contudo, nada muda. nada mudará. só os dias ficarão mais pequenos, ou não cheirasse já às promoções de regresso às aulas da velha papelaria de bairro.

Sem comentários: