sexta-feira, outubro 12, 2012

leituras

ele lê o jornal toda a santa-noite.
acorda sempre cedo, naquele-cedo-que-nem-traz-sol-nem-lua, e lê mais uns blogs.
vai à rua e compra umas revistas. conhece-as de fio-a-pavio.
passa no café e ouve as notícias da rádio.  tão frescas como o pão da padaria em frente.
pouco depois, já no gabinete, vê o noticiário e até escuta o vox-populi.
é conhecido por estar sempre informado. por conhecer todas as fontes, todos os dados, todos os pormenores. tudo. e ele gosta disso, de ter sempre a resposta na ponta da língua.
hoje o filho perguntou-lhe:
como será o amanhã?
amanhã?
não, pai. o amanhã.
silêncio.
um soco no estômago. e uma lágrima rebelde a cair.
soube logo que não tinha resposta para dar. é que ele sabe bem que o futuro escreve-se num obituário de 50 palavras e uma foto a preto e branco.

Sem comentários: