quinta-feira, fevereiro 28, 2013

alice

alice tem os olhos verdes. os olhos do pai, as pestanas da mãe e o olhar melancólico do avô. deixou de ser criança há quatro anos, aliás, se calhar nunca o foi. cresceu entre berros, silêncios e ausências, viveu a morte das duas avós e sentiu o triste beijo dos presentes que não substituem nada. alice tem os olhos verdes. todos se lembram dela. menina inteligente, bem comportada, focada. sabia o que queria para o amanhã. distância, apenas isso. um adeus, mesmo que não-definitivo, ao seu passado. aos seus seus que eram tão pouco seus. alice tinha apenas dezasseis anos e trazia já consigo o cansaço de ver o fim. tinha uns belos olhos, daqueles que ninguém esquece e, contudo, isso não lhe servia de nada. a alice era uma menina simples, uma companhia esperada entre os dois comboios semi-rápidos. hoje não vi alice, tenho pena, o céu está menos verde.

Sem comentários: