quinta-feira, março 28, 2013

Sócrates vai a jogo

© Zoran Lucić


Mesmo que alguns não gostem ou apenas tenham medo de o assumir, Sócrates foi um dos maiores nomes  da democracia. Pode ser culpado de muita coisa mas "só não comete erros quem não faz nada". Hoje, tal como no passado, tenho uma certeza: Sócrates marca uma época e o resto é conversa. Foi assim na Grécia antiga, no Brasil de 1980 e Portugal na última década.
A entrevista de hoje prova algumas coisas. E todas elas eram tão simples e previsíveis: Sócrates é dos políticos que melhor prepara os dossiers, ao contrário dos nossos jornalístas; Cavaco - o político que não é político e apenas faz rodagem de carros -, é um traste, um falso e é o principal culpado desta nossa triste "narrativa"; este governo foi muito além do memorando e não foi acaso, foi uma opção ideológica; há dois anos que não existe oposição em Portugal; e... Sócrates tem muitos defeitos e cometeu demasiados erros todavia, só é uma ameaça real para a direita, para a esquerda (e para todos os outros) porque é dos poucos políticos que ainda tem algumas qualidades. É triste mas é verdade. Um último elogio? É excelente a desmascarar os pseudo-democratas-que-ouvem-a-missa-ao-domingo-ou-a-qualquer-outro-dia-em-que-haja-um-liberal-na-tv mas que não aceitam as opiniões de esquerda, centro ou centro-esquerda. Sócrates voltou ao jogo e, sobretudo se não se candidatar a nada e jogar no espaço entre linhas, isso pode ser bem interessante e importante para o futuro, mas só o tempo o dirá.
Mesmo que alguns não gostem ou apenas tenham medo de o assumir, Sócrates foi um dos maiores nomes do futebol. Obrigado, Sócrates.

2 comentários:

Bodhisattva disse...

http://youtu.be/PZzaOVM0LM0

Entrevistado por medíocres, qualquer um é brilhante...

Se ele for tão bom como dizes aqui, ele não terá problema algum em ser entrevistado por José Gomes Ferreira ou por Camilo Lourenço.

buddy disse...

Triste é vivermos num país em que um bom político é confundido com um bom governante. Lá bom político Sócrates foi, não haja dúvida. Bom político, bom ladrão e bom filho da puta. Mas nada que este país não mereça. Cada país tem os políticos que merece. Há quem tenha o Obama, há quem tenha o Chávez, nós - quer queiramos quer não - temos o Sócrates. Por mim, ele que volte ao activo, que eu acredito que a estupidez só é curada com muita, muita chapada. E claramente para muitos portugueses, ainda não levamos suficientes.