terça-feira, maio 28, 2013

camõrecer

O vencedor do prémio literário mais importante da criação literária da língua portuguesa é o escritor moçambicano autor de livros como Raiz de Orvalho, Terra Sonâmbula e A Confissão da Leoa . É o segundo autor de Moçambique a ser distinguido, depois de José Craveirinha em 1991. O júri justificou a distinção de Mia Couto tendo em conta a “vasta obra ficcional caracterizada pela inovação estilística e a profunda humanidade”, segundo disse à agência Lusa José Carlos Vasconcelos, um dos jurados. in Público

Há prémios que são justos, galardões que são merecidos, condecorações que são previsíveis. E depois há este: um dos mais justos, merecidos e previsíveis de sempre. Hoje somos todos português, hoje somos todos Mia Couto.

Sem comentários: