terça-feira, dezembro 31, 2013

treze não é azar

um ano de d. quixote, de livros, livros e mais livros. de ciências sociais, de gestão e, sobretudo, das mesmas pessoas.
londres é londres, bristol é ainda mais do que isso. passeios no frio,  paredes pintadas, taggadas e desenhadas, amigos antigos e ruas novas.
o regresso e a surpresa, um golpe inesperado e uma mudança. há sempre tempo para a mudança. mas, ao menos, que seja eu a escolher.
a universal, a música, o som, as palavras e as pessoas, novas pessoas.
ensaios, fotografias, filmagens e concertos. o processo criativo aqui ao lado.
mais um ano, mais uma festa. e o verão tão perto.
julho dos dias que seguem noite dentro.
o cinema aqui ao lado, o cinema a dormir ao meu lado.
a reentré com música portuguesa, com música do meu passado.
e o cinema volta à cidade, mesmo que seja a outra.
paris sera toujours paris, os national serão sempre os national, os crepes, o couscous e os croissants serão sempre paris.
doze é benfica, tatuagem e festa.

e temos o treze que foi de mudança, não foi azar, foi uma sorte. venha o catorze.

Sem comentários: